×
ArabicEnglishFrenchItalianJapanesePortugueseSpanish

Aviação Comercial

Pesquisa da Universidade de Harvard afirma que voar é mais seguro do que fazer compras no supermercado

A Escola de Saúde Pública TH Chan de Harvard divulgou suas pesquisas sobre o risco de transmissão de COVID-19 durante o voo. O trabalho de pesquisa concluiu que o risco de pegar COVID-19 em voo é muito baixo.


Pesquisa da Universidade de Harvard afirma que voar é mais seguro do que fazer compras no supermercado

Não é bem um passe livre. A Escola de Saúde Pública de Harvard diz que é preciso mitigar e gerenciar os riscos. As companhias aéreas e os passageiros podem fazer isso adotando medidas de segurança. Isso inclui que todos a bordo usem máscaras faciais, limpeza adequada dos aviões, protocolos de distanciamento social e procedimentos eficazes de triagem de saúde. Citando tais medidas, o artigo de pesquisa complementa:

“O risco de transmissão de SARS-COVID-19 a bordo é mais baixo comparado a outras atividades de rotina durante a pandemia, como fazer compras no mercado ou comer fora.”

O artigo de Harvard propõe uma solução “porta a porta” para gerenciar o risco de COVID-19. As companhias aéreas precisam se concentrar em três coisas – ventilação, limpeza e gerenciamento do distanciamento social.

Os filtros HEPA modernos reduzem o risco por meio da filtragem rápida e contínua e da troca do ar da cabine da aeronave. Esses filtros, padrão em aviões a jato modernos, extraem mais de 99,99% das partículas, incluindo vírus. Eles podem recircular completamente o ar da cabine 10 a 30 vezes por hora com ar fresco.

Com o surgimento de novas descobertas sobre a capacidade de vírus como o COVID-19 de sobreviver por longos períodos em superfícies duras como plásticos, a limpeza de pontos de contato em aviões torna-se cada vez mais importante. A pesquisa de Havard diz que pontos de contato como apoios de braço, bandejas, fivelas de cintos, persianas e travas de banheiro precisam ser limpos com frequência. As limpezas mais profundas precisam ocorrer durante a noite ou quando há tempo suficiente entre os voos, medidas que já têm sido adotadas pelas companhias aéreas há uns meses.